Fabricante de turbo, Garrett Motion afirma que a demanda por veículos com turbocompressor vai aumentar para respeitar a nova legislação de emissões

A quantidade de carros turbo tem aumentado consideravelmente na Europa, China, Estados Unidos e agora também na América do Sul. A Garret Motion, empresa global de tecnologias de turbocompressão, anunciou que vai expandir a sua produção na fábrica de Guarulhos (região metropolitana de São Paulo). Com isso, o mercado poderá dar um salto grande na produção e comercialização de turbinados. Segundo a companhia, metade do mercado brasileiro será composto por carros com turbocompressores até 2022.



Montadoras como a Fiat já anunciaram que vão produzir propulsores turbinados. Muito disso se deve à tentativa do Brasil em ficar no mesmo nível de limite de emissões já impostos na Europa e na China, locais onde as legislações são mais severas. Para ter noção, o Volkswagen T-Cross só é equipado com motores turbo (1.0 TSI ou 1.4 TSI). A fornecedora da VW no Brasil é a Borg Warner. 

A FCA está investindo R$ 500 milhões apenas na fábrica de motores de Betim, Minas Gerais, para produção dos Firefly 1.0 e 1.3 turbo. Os dois propulsores começam a ser produzidos no final de 2020 e serão lançados no início de 2021. A Garrett Motion é fornecedora da Fiat e Jeep. O objetivo é receber benefícios fiscais por superarem as metas estabelecidas de eficiência energética pelo programa Rota 2030.

A Garret também fornece turbinas para os motores da Hyundai, como o novo HB20, que terá porpulsor 1.0 turbo com injeção direta. Confira o teste de Autoesporte, pois o modelo chega em setembro deste ano e será capaz de entregar 120 cv e 17,5 kgfm de torque. O HB20 1.0 turbo atual oferece 105 cv e 15 kgfm.

“Acreditamos que até 2030 o Brasil terá diminuído a diferença de tecnologia que existe em comparação com a Europa e já prova que está com políticas para a redução do nível de emissões. O número de carros com turbo está crescendo e o nosso investimento vem justamente
para suprir a demanda dos próximos dois anos”, afirmou Olivier Rabiller, presidente e CEO da Garrett Motion. Segundo a Garrett, 48% dos veículos vendidos no Brasil em 2022 terão motor turbo. Hoje menos de 1% dos veículos produzidos localmente possuem turbinas. A participação no mercado desses carros é de apenas 20%, incluindo os modelos importados.

Hoje na Europa 73% dos automóveis movidos a gasolina são turbo, mas o crescimento será pequeno para 2022, alcançando 75%. Na China, os turbos em automóveis representam 32% atualmente e vão chegar a mais de 50% em 2022.

As seguradoras já percebem esse movimento e muitas não cobram valores absurdos por carros turbo. O valor da apólice de um VW up! TSI Pepper, que custa R$ 62.830, é de R$ 1.954,36 (franquia de R$ 3.174,17). Já para um up! Move (R$ 52.860), com motor aspirado, a mesma seguradora cobra R$ 1.781 pelo serviço (franquia de R$ 2.136,94). Ou seja, proporcionalmente o seguro do up! com turbo é mais vantajoso.

Para o Hyundai HB20 ocorre o mesmo. O hatch coreano na versão Comfort Plus com motor 1.6 aspirado (R$ 55.590) tem seguro na casa dos R$ 3.126,63 e franquia de R$ 3.555,54. Já a mesma configuração com 1.0 turbo (R$ 53.190) tem seguro R$ 302,09 e franquia R$ 354,78 mais baratos, respectivamente, tornando o benefício mais atrativo para quem opta por um HB20.

Publicada em 18/06/2019 - 08:52 por VINICIUS MONTOIA

Janeiro/2017

Março/2017

Abril/2017

Maio/2017

Junho/2017

Julho/2017

Agosto/2017

Setembro/2017

Novembro/2017

Dezembro/2017

Janeiro/2018

Fevereiro/2018

Março/2018

Abril/2018

Junho/2018

Julho/2018

Agosto/2018

Setembro/2018

Outubro/2018

Novembro/2018

Dezembro/2018

Março/2019

Maio/2019

Junho/2019

Julho/2019